Vita Hábil - Soluções em Reabilitação

Artigo
A+ A-

18/01/2012

Órtese Abdutora do Polegar

Uso de órtese para abdução do polegar no desempenho funcional de criança portadorade paralisia cerebral: estudo de caso único

 

Objetivos: documentar o impacto do uso da órtese de abdução do polegar no desempenho funcional de uma criança hemiparética com leve espasticidade.
Métodos: foi utilizado um desenho experimental de caso-único do tipo AB. A fase A consistiu na coleta de dados durante um período sem intervenção (condição controle). A fase B incluiu o uso de órtese de abdução do polegar como procedimento terapêutico associado ao atendimento de terapia ocupacional tradicional. A fase A teve a duração de seis semanas e a fase subseqüente de oito semanas. A criança foi avaliada semanalmente quanto à amplitude ativa de movimento de extensão e flexão de punho, abdução e oponência do polegar e quanto à função manual. A análise dos dados foi realizada através dos métodos estatísticos Celeration Line e Banda de Dois Desvios-Padrão, assim como da Análise Visual.
Resultados: a criança apresentou melhora significativa na amplitude de movimento do punho e polegar (ADM ativa). Com relação à função manual observou-se redução do tempo para realização das tarefas, porém não significativa, exceto para a tarefa de empilhar blocos.
Conclusões: os resultados sugerem que o uso da órtese de abdução do polegar pode ser útil no tratamento de crianças com paralisia cerebral espástica para a melhoria da ADM ativa da mão, podendo ser utilizada como adjuvante a outras terapêutica.

Fonte: Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., Recife, 7 (4): 4
Autor: Adriana M. Valladão N. Rodrigues; Marisa C. Mancin
www.scielo.br/pdf/rbsmi/v7n4/a10v7n4.pdf